15 de janeiro de 2013

Educar a criança exige presença dos pais


¨ SE VOCÊ TEM UM FILHO, 
tem de reservar tempo para ele ¨


Para o pediatra José Martins Filho, a presença dos pais é essencial para o desenvolvimento saudável da criança. Professor titular emérito do Departamento de Pediatria da Unicamp e membro da Academia Brasileira de Pediatria, ele conversou sobre a ¨ criança terceirizada ¨, tema de seu livro. Veja a entrevista.

- O que é uma ¨ criança terceirizada ¨? E quais são as consequências dessa ¨terceirização ¨?
José Martins: A criança terceirizada é uma criança que não recebe a atenção, o carinho e a devida presença dos pais e de cuidadores. São, infelizmente, muitas crianças, em todos os níveis socioeconômicos, cujos pais não podem, não conseguem ou não querem cuidar delas e delegam essas fun­ções a outras pessoas, terceirizando o cui­dado.

- No contexto do mundo contem­porâneo, quais os principais desafios que os pais enfrentam para educar?
José Martins: Infelizmente, existem pessoas que não estão bem informadas da responsabilidade de colocar um filho no mundo. Muitas vezes, querem ter filhos, mas não sabem ou não imaginam o que é ser pai e mãe e as responsabilidades que isso traz.

Eu tenho visto problemas graves, com pais e mães que saem de casa às 6 horas da manhã, não aparecem para almoçar ou jantar, chegam em casa às 19 ou 20 horas, cansados do trabalho, e não têm tempo para educar, agradar, acompanhar e super­visionar a educação de seus filhos.

O grande desafio das famílias, hoje, é sentir a responsabilidade da presença e de acompanhar os filhos na escola, nos deveres... Passear com eles, ajudá-los nas tarefas escolares supervisionar com quem andam e com quem vivem e, claro, educá-los para um mundo muito exigente.

Os pais precisam amar, mas tem que colocar limites, orientar e estar presentes no dia a dia dos seus filhos.

- Como conciliar a rotina corrida do dia a dia com a educação dos filhos?
José Martins: É preciso pensar que a vida tem que ser analisada, compreendida e que, quando nasce urna criança, a vida muda totalmente, e não se pode continuar imaginando que tudo será como antes... Muitos trabalhos feitos em vários países mostram que crianças para as quais o vínculo não foi forte e que não receberam a devida atenção na primeira infância, prin­cipalmente nos três primeiros anos de vida, podem apresentar problemas graves de desenvolvimento emocional, principal­mente na idade adulta, com dificuldades de relacionamento com outras pessoas, como se manter nos empregos etc., ou seja, a primeira infância é fundamental para o desenvolvimento do ser humano.

- A sociedade ainda cobra dos casais que tenham filhos. Corno o senhor avalia essa questão?
Jose Martins: Ter filhos é uma decisão que deve ser tomada de forma bem madura e com profundo conhecimento do que isso significa. A pressão, para algumas pessoas, tem que ser entendida como algo fundamental. Não adianta se sentir pres­sionado e ter um filho porque o parceiro quer ou porque os avós querem netos. É bom lembrar também que o futuro da hu­manidade são as crianças. E, apesar de estar em moda a frase "Que mundo deixaremos para nossos filhos", eu quero lembrar que precisamos também pensar "Que filhos deixaremos para o nosso mundo ¨. De que crianças estamos cuidando? Quem serão os cidadãos do futuro? Saramago, o nosso célebre prêmio Nobel de Literatura diz num livro._ ¨ O homem que sou é por causa da criança que fui¨. Isso tem um significado muito grande: apenas e, simplesmente, diz que se a infância não for cuidada, amada, preferida e exaltada com atenção, os adultos podem ser pessoas que não correspondem ao ideal da humanidade... A violência urbana que hoje vemos, provocada por jovens de todas as classes sociais – bebedeiras, agressões, acidentes de carro, roubos, assassinatos -, não existe apenas por problemas econômicos, mas, principalmente por problemas sociofamiliares. Por falta de pai, de mãe, de amor, de presença e de humildade para assumir esse papel que exige dedicação, tempo e boa vontade.

- Educar exige presença? Por que ela é fundamental para os filhos?
José Martins: Claro que educar exige presença, afeto, carinho, atenção, colocação de limites. Ser pai ou mãe exige dedicação e também que se abra mão um pouco do egoísmo e do narcisismo, tão comuns em nossa época. Se você tem um filho, tem que reservar tempo para passear, educar, dar carinho, acompanhá-lo ao médico, ir à escola.

0 comentários:

Postar um comentário