28 de abril de 2015

QUER ESTUDAR NOS EUA? COMO ESCOLHER A UNIVERSIDADE CERTA?

“Se a escolha é por estudar nos EUA, o que deve ser comparado são as diferentes universidades que surgem como opções para o estudante. Não se deve fazer uma comparação entre Brasil e EUA e sim entre EUA e EUA”.

Pedro Lunardelli é Consultor Educacional - Região Sul do Programa Daqui Pra Fora, parceiro do Colégio PGD para intercâmbios e consultoria para ingressar em universidades no exterior. Em entrevista exclusiva, esclarece dúvidas e explica o diferencial das universidades americanas.

Pedro, com certeza todos te fazem esta pergunta: as faculdades americanas são mesmo melhores que as brasileiras?

R - Algumas pessoas me questionam dizendo que algumas faculdades brasileiras são melhores que as faculdades americanas. É muito normal algumas famílias e alunos acharem que faculdades federais e boas particulares no Brasil são melhores que algumas faculdades nos EUA, afinal a maioria das pessoas desconhece o sistema de ensino americano. Quando fui para os EUA, também não sabia perfeitamente o que iria encontrar lá. A questão é que a comparação que se faz entre as Universidades brasileiras e Universidades americanas é um pouco fora de contexto. Acredito nisso, pois, são sistemas educacionais diferentes, estruturas diferentes, projetos completamente diferentes, recursos diferentes, orçamentos diferentes e etc.

Então, o que se deve considerar na hora de fazer a escolha da universidade?

R - Se a escolha é por estudar nos EUA, o que deve ser comparado são as diferentes universidades que surgem como opções para o estudante. Não se deve fazer uma comparação entre Brasil e EUA e sim entre EUA e EUA.

E o que o aluno pode encontrar na universidade americana? 

R- A diferença entre estudar no Brasil e estudar nos EUA não está no ensino, pois em algumas faculdades brasileiras a parte teórica é muito boa também. A diferença é o que o sistema americano pode gerar na vida do seus alunos. Para deixar mais claro, o grande aprendizado de estudar nos EUA está no que ele aprende fora da sala de aula. As faculdades oferecem para os alunos os Club dentro da faculdade. São oportunidades extra classe. Como por exemplo: Club de empreendedorismo, finanças e mercado de capitais, robótica, engenharia, arquitetura, cinema, trabalho voluntário, etc. Além disso os alunos aprendem: trabalho em equipe; tolerância com as diferenças; conhecimento de mundo; independência; maturidade; vida no campus; inglês realmente fluente; rede de relacionamentos internacional; autoconfiança; resiliência e muitas outras coisas.

Então, você considera estas atividades extras o grande segredo da educação americana?

R - Os EUA construíram a base do seu sistema, e não falo do sistema educacional, e sim da sociedade como um todo, por meio da educação e hoje é referência mundial em qualidade educacional. Há 4 mil instituições de ensino nos EUA e por mais que existam, como em qualquer outro país do mundo, universidades de baixa qualidade, a maioria terá condições de ensinar os bons valores aos seus alunos. Muitas vezes, por comparar Brasil com EUA, as pessoas aqui pensam que ir para uma universidade desconhecida nos EUA é o mesmo que estudar em uma universidade de esquina aqui no Brasil. Definitivamente não é. Novamente, os EUA se construíram e se mantém com base em educação. É por isso que incentivo tanto os jovens a irem para os EUA ou Canadá estudar.

E sobre o processo de candidatura para ingresso nas universidades americanas, o que você orienta a ser feito?

R – Se me perguntam se é possível fazer sozinho o processo de candidatura para as universidades americanas, a minha resposta é “Sim”. Agora se me perguntam se devem fazer o processo sozinho, eu sempre respondo “Não”. Vou mostrar pelo menos três motivos que eu considero essencial neste processo:

1) Escolher a faculdade mais adequada: Nos EUA existem quase 4 mil faculdades. Pouca gente conhece e não leva em consideração na hora da escolha, fatores muito importantes como: melhor faculdade na sua área de interesse, proximidade da faculdade junto à empresas para oportunidades de estágio, nível acadêmico da universidade, localização, clima, tamanho da faculdade, tamanho da cidade, estilo da universidade – se é conservadora, liberal, religiosa, competitiva, artística, tecnológica, etc. -, investimento da família e possibilidades de bolsas de estudo.

2) Bolsa de estudos: Existem possibilidades de bolsas de estudos que pouquíssimas pessoas conhecem. O processo geralmente é aplicado à parte. Além disso, as datas para solicitação geralmente são bastante antecipadas. É necessário ter muita atenção para os requisitos. Existem casos também que solicitar bolsa enfraquece a candidatura do aluno, é importante saber em que casos isso acontece.

3) Planejamento: O Planejamento é uma das partes mais importante do trabalho que uma empresa de assessoria faz para o aluno e sua família. É criado um calendário de atividades que será seguido ao longo de todas as etapas do processo. Assim o aluno não se estressa com o que não é necessário no momento, mas também não deixa tudo para a última hora e não perde nenhuma data importante. São dadas as orientações para fazer tudo da melhor forma possível. Economiza tempo. Acerta com mais frequência e o processo de candidatura fica com uma maior qualidade.

Pedro Espindola Lunardelli, é nascido em Florianópolis. Aos 17 anos foi fazer faculdade nos EUA e se formou em Administração e Finanças. Tem mestrado na área de negócios na Itália e uma especialização no Brasil. Conhece tanto o sistema de ensino Americano, Europeu como o Brasileiro. Trabalhou por vários anos em empresas multinacionais. Hoje além de trabalhar com investimentos, incentiva alunos brasileiros a fazerem a graduação nos EUA. É Consultor Educacional - Região Sul do Programa Daqui Pra Fora.

Para saber mais sobre intercâmbio visite nosso site  


0 comentários:

Postar um comentário